• RF

(Livre)ando - Olympe de Gouges

Atualizado: Jan 15


Título: Olympe de Gouges

Autor: Catel & Bocquet

Editora: Record

Classificação indicativa: adulto

Gênero: História em Quadrinhos / Bibliografia

Quadrinhos também são literatura!! E sempre se pode amar tanto livros clássicos quanto as Histórias em Quadrinhos.

Aqui na página já falamos de livros contemporâneos que falam sobre a França, e sobre mangás que tratam sobre a história da Revolução Francesa. Mas nossa última leitura traz a bibliografia de uma personagem importante da Revolução, em formato de HQs, o que realmente é uma coisa que não se vê todo dia: A bibliografia da líder feminista Olympe de Gouges.

Uma coisa para se observar sobre essa bibliografia de Olympe de Gouges é a quantidade de páginas: 487 páginas (levando em consideração os anexos e bibliografia)!!!! Em um primeiro momento pode parecer desmotivador, já que HQs não costumam ter uma quantidade tão grande de páginas, entretanto, a leitura é rápida, e não se demora tanto para ler quanto uma leitura corrida de uma bibliografia, que não costuma ser o assunto mais divertido de todos.

A HQ tem um construção bem interessante, que, além de contar a história de Olympe de Gouges, desde seu nascimento, também traz uma aula de história sobre a época pelo seu conteúdo a mais, como por exemplo, a divisão dos capítulo é feita pelas datas mais importantes da personagem, com ano e data, e também sua influência na história da França, e no final, pode-se encontrar uma ordem cronológica dos fatos da vida dela, além de pequenas bibliografias de figuras histórias que aparecem em seu caminho, tais como Saint-Just, Robespierre, Maria Antonieta, etc, o que o torna também uma fonte de pesquisa e conhecimento em linguagem mais popular e mais descontraída que um livro de história.

HQs com quadros diferenciados e traços únicos também as tornam algo mais peculiar, e nesse trabalho o traço é incrível, apesar de ser em preto e branco, com muitos detalhes e um cuidado na produção, além de quadros especiais de cenas que ocupam 1/2 página, 1 página ou até mesmo duas páginas!!! É uma boa surpresa encontrá-las durante a leitura!!

E os autores não pouparam trazer a realidade e o que de fato Olympe era: filha bastarda, com filhos, sem casamento, com um relacionamento apenas com a causa pela qual lutava (os direitos da mulher na sociedade). Isso é um ponto positivo. Entretanto, uma crítica é o enaltecimento de uma mulher que foi falha algumas vezes, política e social, e colocá-la como heroína. Olympe foi uma mulher que lutou pelos direitos daquelas que eram como ela e não eram vistas pela sociedade revolucionária, mas coloca-la como heroína é um pouco de exagero. Feminista sim, talvez a primeira conhecida e ativa. Revolucionária, igualmente, por tentar algo inimaginável em seu tempo.

A HQ é uma leitura bem interessante para quem quer conhecer mais sobre a participação da mulher durante a Revolução Francesa, e também como o feminismo original surgiu e sua luta, que se difere de sua forma na atualidade.


39 visualizações
0