(Livre)ando - Amor e Orgulho

Título: Amor e Orgulho (ou o Senhor Industrial) - Le Maître des Forges

Autor: Georges Ohnet 

Editora: Pedrazul

Classificação indicativa: Livre

Gênero: Clássico

 

 

Á défaut d'autres satisfactions, vous aurez celle de contempler l'objet de vos désirs,

comme on disait au siècle dernier."

 

 

     O livro é o segundo romance da série "Batailles de la vie", com 34 histórias escritas pelo autor entre os anos de 1881 e 1914, e traz o estilo de melodrama explorado por Ohnet. 

 

     A narrativa é sobre Claire de Beaulieu, a filha de um marquês da nobreza antiga, que, após ser traída pelo seu amor de infância e também nobre, além de ver sua família falida sem dinheiro para um dote descente, se vê obrigada a casa com um burguês industrial chamado Philipe Derblay, que nutre um amor sincero desde que a viu pela primeira vez na vida.  A obra demonstra um embate ente o amor de Derblay e o orgulho de Claire. 

 

    Um ponto interessante de se observar sobre essa história é a forma como o confronto entre classes sociais da época (nobreza e burguesia) é representado, como a motivação de Claire de não se casar com Philipe seja além de ter sido traída pelo seu noivo anterior, mas também pelo fato de seu novo noivo não ter um título e estar em seu nível social.

 

    Temos os personagem Claire e duque de Blingny representando a nobreza falida, porém com o orgulho ainda desnecessário por conta de seu título. E do outro lado temos Athenaïs e Derblay representando a burguesia em ascensão, com riquezas, entretanto, sem o reconhecimento de seu status se comparado com os nobres, que os desprezam. Também é visto, pelos personagem Blingny e Athenaïs que, independente de sua classe social, tanto quanto a nobreza quanto a burguesia possuem seu lado ruim e podre.

 

       Apesar de termos essa visão social presente, a construção emotiva da história do casal principal é um pouco fraca, sem tantos detalhes de como o orgulho de Claire se transforma em amor em relação à Derblay. A falta de detalhes acaba tornando a história um pouco seca e teatral, se comparada com os romances clássicos franceses, onde o sentimento deve ser tocado no coração do autor e fazê-lo se identificar com a situação do personagem. 

 

      Por fim, o livro é uma leitura rápida e tranquila e pode ser uma opção para que alguém comece com a literatura francesa, por não ser extremamente complexo ou trabalhado, mas ao mesmo tempo que essa característica é positiva para alguns leitores, para outros, é o seu defeito.

 

 

 

      

 

      

 

Please reload

Categorias

Please reload

Útimos posts

Please reload

Arquivo

Please reload