• RF

Trilogia "Asiáticos Podres de Ricos"

Atualizado: 30 de abr.

Títulos:

- Asiáticos Podres de Ricos

- Namorada Podre de Rica

- Problemas de Gente Rica

Autor: Kevin Kwan

Editora: Record

Classificação indicativa: Adulto

Gênero: Comédia Romântica

"Deixem a China dormir, pois, quando ela acordar, irá sacudir o mundo"

Napoleão Bonaparte


Após assistir o filme homônimo em 2018, e descobrir que era inspirado em livros, corri para a livraria para comprar um exemplar. E essa foi a primeira obra literária que me abriu os olhos para o oriente, mais especialmente, para a Ásia. E, quebrando os estereótipos que tinha a respeito, conheci Singapura.


O que ouvi falar sobre a ilha, que é cidade-estado, foi antes de seu desenvolvimento absurdo e de se tornar um Tigre Asiático. Mas assim como Rachel Cho, a jovem professora universitária promissora (que aliás, me identifico e desejo ser como ela quando "crescer"), descobre que seu namorado é um herdeiro de uma riquíssima família singapuriana tradicional, eu também descobri além do que minha visão ocidental poderia alcançar não apenas sobre o país, mas também a respeito de China, Hong Kong e outros vizinhos asiáticos, que cada vez mais se erguem aos nossos olhos desacreditados de seu enorme potencial.


O primeiro livro, que traz o nome da trilogia, é o que desafia o leitor, assim como a personagem principal, a adentrar neste universo de tantas diferenças de costumes, idiomas, hierarquia familiar e poder de tradições e de dinheiro acumulado por gerações.

Rachel Cho, a professora universitária de Economia nos Estados Unidos se apaixona pelo então professor de História Nicholas Young, e na vida pacata que compartilham juntos em Nova York ela nunca sequer se importou que o namorado não a apresentou de imediato à família. Até que um grande amigo de Nicholas o convida para o seu casamento, e ao aceitar, também vê como a oportunidade perfeita não apenas para mostrá-la ao clã Young, como também para pedi-la em casamento em Singapura.

Mas as coisas não saem exatamente como Nick imaginava. Além de Rachel sofrer com as mulheres solteiras da ilha, que consideram que ela roubou o homem mais cobiçado entre o círculo de milionárias, também é imediatamente reprovada pela sogra e a avó de Nicolas não apenas por sua origem humilde, mas também por sua mãe ser divorciada.

Rachel não desiste tão facilmente, e com a ajuda de Peik Lin, sua amiga da faculdade que também é de uma rica família (mas nem tanto quanto os Young) e a prima de Nick, Astrid, ela vai aprender como lidar com a família de Nick, porém vai depender do rapaz a decisão: o amor ou o dinheiro e a família?


No segundo livro temos um bela reviravolta. Nick e Rachel se casam nos Estados Unidos e o rapaz abandona a família para viver simplesmente com sua esposa. Entretanto, a mãe de Nick, Eleanor Young, que é uma sogra um tanto quanto determinada e insana, descobre depois de investigações particulares que sua nora é filha de um grande político chinês, o que a coloca também como uma nova podre de rica.

Então Rachel agora tem que conhecer seu pai, bem como sua madrasta e meio-irmão, em Hong Kong e Pequim, e um estilo de riqueza diferente daquela da família de seu marido.

Aqui temos uma descoberta da própria Rachel sobre si mesma e o que ela é e o que pode ser dentro de suas origens asiáticas, e se aceitará o rótulo de seu nome paterno, ou se continuará com sua vida normal.


O terceiro livro prova para os leitores que o grande problema desses milionários é sem dúvida a morte, tanto para quem vai morrer quanto quem vai disputar a herança no testamento.

E também descobrimos o passado da avó de Nicholas Young que muito influencia em suas decisões sobre a família toda, bem como e principalmente o casamento reprovado do neto com Rachel Cho. Notamos como a história de Singapura, entre guerras e conflitos de diversos impérios muito mexeu com as tradições e as famílias que estruturam o país.


E acho que essa é uma das partes mais legais dos livros de Kwan: ele conta sobre Singapura, um pouco em tom de fofoca dos famosos, mas também com cuidado histórico, da essência do país e de sua cultura, com uma pitada de drama asiático, mas mantendo sua originalidade com o país que aborda - saindo do circuito padrão Japão-Índia-Coreia do Sul, etc. Merece a posição de best-seller.


Eu li os dois livros em três semanas, e precisei esperar muito para ler o terceiro traduzido no Brasil - a Onda da cultura oriental precisou vir com mais força. Na época, já tinha entrado no universo da cultura Pop coreana, mas com certeza "Asiáticos Podres de Ricos" influenciou na minha escolha sobre trabalhar a Ásia com mais cuidado e trazer para minha vida acadêmica e autoral.


Recomendo a leitura para quem quer conhecer e se fascinar além do exótico da Ásia, mas por sua beleza, desenvolvimento e riqueza únicos, junto com personagens que a gente se identifica, mesmo com diferenças de valores na conta bancária.


E o filme também é uma boa pedida após a leitura. Para curiosidade, a produção se esforçou em gravar com um elenco totalmente asiático, e as músicas também são todas cantadas em chinês, sendo fiel ao livro e também reforçando a presença asiática nas telas dos cinemas.




18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo