top of page
  • RF

A Princesa da Yakuza

FICHA TÉCNICA:

A PRINCESA DA YAKUZA

Nacionalidade: Japão / Estados Unidos / Brasil

Direção: Vicente Amorim

Gênero: Anime / Suspense

Lançamento: 2021

Elenco: MASUMI, Jonathn Rhys-Meyers, Tsuyoshi Ihara



O Brasil tem a maior colônia japonesa fora do Japão do mundo, com cerca de 1,5 milhão de nikkeis espalhados pelo país, em especial na região Sul e Sudeste. Assim, seria ingenuidade pensar que não temos células da Yakuza - a Máfia japonesa - em nosso território. E é um pouco, disso, em plena cidade de São Paulo, no bairro da liberdade, em um clima sombrio e um pouco futurista, que conhecemos a adaptação do mangá "Samurai Shirô", feito pelo brasileiro Danilo Beyruth.


Só por ser uma produção em co-parceria brasileira, onde direção e roteiros são brasileiros e conta também com participação de alguns atores brasileiros, como Charles Paraventi e André Ramiro, além de atores japoneses para maior veracidade do enredo, já merece a atenção do público. É sempre incrível ver nosso país receber atenção merecida das produtoras internacionais e fazer uma produção de um nível fantástico de enredo, fotografia, cenas de ação e efeitos especiais. Mas se isso ainda não te convenceu...


O enredo conta a história da Akemi, que perde sua família no Japão em um tiroteiro violento, e acaba sendo enviada aos cuidados de um sensei de Kenjutsu em São Paulo, Brasil. Durante seus treinos, ela tenta equilibrar a dor da perda e a história desconhecida do porquê perdeu quem ama. A única coisa que ela resguarda do passado é o bordado do clã de seu avô.


Ao mesmo tempo, um homem acorda em um hospital público sem saber como veio parar no país, tendo apenas uma espada sendo encontrada consigo antes de desacordar. E então ele também começa a buscar qual sua relação com a katana e aquele lugar. E nessa busca, revela-se que o homem é um assassino contratado pela Yakuza.


E a Yakuza busca a herdeira de um do chefão de um dos clãs, que acreditavam ter eliminado, e agora querem acabar com a última sobrevivente. E é assim que Akemi cruza o caminho do Shirô, o assassino contratado que acaba se tornando seu aliado ao invés de inimigo, para descobrir o passado dela e derrotar aqueles que a perseguem.


E neste enredo, vamos entendo não apenas a atuação dessa famosa máfia, como também a presença da imigração japonesa no Brasil, não apenas no bairro da Liberdade, com um clima mais Pop e neons, mas também no interior do estado, onde a tradição é mantida de um passado milenar que nem o próprio Japão tem - inclusive, a par de curiosidade, o Japão manda pesquisadores para as colônias japonesas mais tradicionais para recordar e estudar o estilo de vida tradicional dessa cultura.


Também são muito bem feitas e fortes as cenas de ação e lutas com espada, que envolve a batalha ritualista e com vários significados, como, no caso do filme, manter a honra do clã de Akemi, como a relação desta luta com um ocidental, que é Shirô (interpretado por Jonathn Rhys-Meyers). E a narrativa resguarda o suspense da relação dos personagens e a motivação para perseguirem Akemi até se revelar suas origens e o que ela decidirá fazer sendo a herdeira do poder da Yakuza.


Eu super recomendo para quem curte o gênero de ação e suspense, e quer conhecer mais essa máfia poderosa no mundo do crime. Além disso, tudo fica ainda melhor quando conhecemos os lugares em que se passam as cenas, as ruas, os famosos lustres da Liberdade - eu, sendo moradora de São Paulo, fiquei muito feliz em ver minha cidade em cena, saindo daquele circuito Rio de Janeiro.


Enfim, o filme foi feito pela Netflix e está acessível na plataforma. Não tem desculpa para não conferir!



68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page